quinta-feira, 8 de julho de 2010

Sociopatia


Um indivíduo em cada vinte cinco pessoas é sociopata. Isso significa que , estatisticamente falando, você interage com sociopatas o tempo todo. A maioria deles não são  homicidas, nem "Serial Killers", mas apresentam um potencial danoso enorme para o equilíbrio social. Recentemente ficamos chocados com um crime que ocorreu no meio futebolístico. Em entrevista, o principal suspeito declarou,  a uma revista de circulação nacional, a seguinte frase " Eu tenho a consciência tranquila." A sociedade se baseia em regras de boa convivência, respeito aos direitos coletivos, preservação das normas, comportamento responsável, cumprimento de obrigações pessoais e familiares. Esses indivíduos sociopatas descumprem esse código de conduta repetidamente e não sentem culpa por fazê-lo. Os sociopatas são desprovidos de consciência. A consciência só pode ser tranquila neste caso citado se for inexistente. Pessoas normais sentem culpa ( até de coisas pelas quais  não são responsáveis). Os sociopatas não sentem culpa, sabem o que estão fazendo( por isso, são imputáveis pelos crimes) , predam o mundo, buscando sempre os seus benefícios em detrimento dos outros, "eliminando", em maior ou menor grau, qualquer obstáculo.
As pessoas desavisadas acreditam que todos são essencialmente confiáveis. Por não investigarem acuradamente o comportamento dos outros, caem em armadilhas perigosas. São exploradas, iludidas, torturadas, logradas, sugadas, assassinadas, esquartejadas, pagando um preço alto.




As condições que nos levam a pensar em sociopatia incluem: envolvimento repetitivo com delitos, mentiras, uso e abuso de substâncias entorpecentes, "vida boêmia e irresponsável", "autovitimização", desmotivação para o trabalho( o que se confunde com depressão), envolvimento com amizades ligadas à contravenção. Cabe a todos ficarem atentos para não caírem na armadilha nefasta da sociopatia que domina os nossos tempos. "Quando os bons se omitem, uma minoria peçonhenta triunfa."
Eu recomendo que  vocês comprem essa revista de circulação nacional e leiam a reportagem.Não poderia haver uma melhor descrição do cotidiano comportamental de um sociopata, nem mesmo em livros de psicopatologia psiquiátrica. Os sociopatas falam sem o menor sinal de emoção. Quando perguntado sobre a vítima, o suspeito resignou-se a dizer que "ainda ia rir muito disso tudo"( divulgado na televisão, mas não na revista).Vamos aos pontos altos , em trechos selecionados da revista. ..." Era uma orgia só", "uma p...",
" rezo para que a E apareça."( bonzinho), " Vou brigar pela guarda"( pai amoroso, snif, snif, quase me emociono), "Ela disse que tinha gente atrás dela"( distorção da história, aproveitando para jogar a culpa em alguém)... Quando entrou em contradição( mentiras demais), simplesmente emendou a história... " É que quando...", ou preferiu não responder ..." Não sei dizer o dia". " Quem tem que provar o que está dizendo é quem está me acusando"...( isso mesmo, ou você se entregaria, sabichão?).
Não podemos minimizar a origem desses "craques". O fato de serem bem-sucedidos no futebol não vai modificá-los na sua essência. Vai  apenas intensificar os traços sociopáticos. Como diz o velho ditado, " um tolo e muito dinheiro fazem uma grande bagunça". E a bagunça alimentada por dinheiro, fama, orgias, ostentação, exibicionismo, vai crescer até chegar ao crime. Outros craques oriundos de favelas tomadas por traficantes já protagonizaram comportamentos sociopáticos.  Nas palavras de um outro atacante, cujos "amigos " são traficantes, " Não vou deixar as minhas raizes."( isso mesmo, não vai, está nos seus genes, na sua essência mental).
Quando são flagrados, inventam histórias absurdas, sempre na tentativa de passarem por vítimas ou bonzinhos. Não é dinheiro para o tráfico, é para "cestas básicas".( snif, snif, quase me emociono). E assim seguem, porque são sociopatas. E sociopatas  são irrecuperáveis. Lugar de sociopata é trancafiado numa cadeia, longe da convivência humana. Só assim estaremos seguros.

6 comentários:

  1. Olá,tudo bem?Convivi com um sociopata por três anos.Quando descobri,meu mundo desabou porque um dos objetivos do sociopata é fazer com que a pessoa o ache "seu mundo".É interessante e assustador lembrar,agora analizando pelo lado racional do cérebro,como eram evidentes suas características.Pasme,sou estudiosa do assunto,porém,mesmo assim fui vítima.Hoje consigo ajudar muitas pessoas que foram,estão ou quase caíram na rede de um sociopata.Marcos,se você quiser saber mais informações sobre o comportamento,sem citar nomes,acredito poder lhe fornecer dados para seu estudo.Me mande um e-mail de contato,se quiser.
    Abraço
    Anônima

    ResponderExcluir
  2. fui vitima de uma sociopata por toda aminha vida ela è minha irma. sempre sofri muito e sempre pensei que fosse culpa minha. ela tinha total dominio sobre a minha mente. foi por acaso que descobri que ela è sociopata, mas agradeço a deus por ter descoberto isso ainda a 50 anos, pois tenho tempo pra avisar meus outros parentes e quem sabe eles possam se libertar dela mais cedo que eu. nao posso nem descrever as coisas que sofri com essa pessoa pois nao a considero mais minha irma visto que como diz os artigos e minhas conversas com um terapeuta ela è e èra conciente de todo o mau que usava contra mim, digo somente que esse tipo de pessoa è realmente muito nocivo a qualquer pessoa normal do planeta por isso sigo o conselho de desmascarar essa gente. nao tenho medo de nada que ela possa fazer ou dizer a mim me basta saber que no fim eu è que sou normal e ela manipuladora e malvada.

    ResponderExcluir
  3. Procurei o sinônimo de sociopata no "Google" e me apareceu, "político brasileiro"...

    ResponderExcluir
  4. Sempre fico em dúvida sobre sociopata e psicopata, já li alguns livros que dizem que psicopata não sente remorso pois é incapaz de experimentar empatia, o sociopata sempre achei que era apenas um desvio de comportamento, digamos uma forma mais branda. Não sabia que ele tbém era desprovido do "sentir" de experimentar emoções e remorso! Queria uma definição da diferença real entre os dois, se possivel. Mas quanto a morar nas favelas e trazer isso nos genes, não concordo, tenho contato com várias pessoas de outras cidades que trabalharam duro, estudaram, conseguiram sair da favela, outros optaram por ficar e fazem lindos trabalhos sociais com as crianças, enfim, não acho justo estigmatizar a pessoa pelo local onde ela nasce...se é que te entendi corretamente.

    ResponderExcluir
  5. Elisabete,

    O termo sociopatia e psicopatia são usados como sinônimos.
    Sugiro que leia o outro artigo que escrevi na revista Consulex, que explica detalhadamente o assunto.( Pesquise aqui no blog mesmo).
    O que escrevo está baseado em pesquisas não em opiniões. Portanto respeito a tua opinião, mas ela não muda as pesquisas.
    Há um problema de lógica na tua avaliação do texto. Nem todo favelado é traficante, mas muitos o são. O texto aborda uma situação pontual, em que no caso o envolvimento era com traficantes que moravam na favela.

    ResponderExcluir